Entrevista a Tom Metzger

Entrevista realizada pela redacção do Causa Nacional a Tom Metzger, líder da White Aryan Resistance

1. Quando é que despertou para o combate pela preservação da Raça Ariana?

Tornei-me activista político em 1964, contudo só me tornei uma activista racial nos anos 70.

No início era um militante da extrema-direita, o que levou a que mudasse de opinião e se tenha tornado um Revolucionário Ariano?

Foi através do que observei e do que ouvi durante as sublevações e motins de pretos em Los Angeles e Watts que despertei para o problema racial. A discriminação invertida e a integração imposta pelo governo contribuíram mais que tudo o resto. Claro que comecei a estudar livros racistas. Também confrontei o governo em muitas questões, tendo concorrido para o Congresso e Senado norte-americano.

Estive preso várias vezes, o que me fez compreender a importância do ódio saudável. Recusei pagar impostos para a guerra do Vietname, que matou milhares de jovens brancos em prol da indústria militar. As finanças confiscaram a minha casa duas vezes antes de a perder no processo do Tribunal Cível de Oregon- Portland.

2. WAR significa White Aryan Resistance, mas significa isso para si que uma Guerra Racial é a única via para a sobrevivência Ariana?

Acredito que é impossível preservar a Raça Branca Ariana sem uma luta armada mundial, uma vez que o sistema de voto nos falhou. Se o voto mudasse alguma coisa eles (O Sistema) tornavam-no ilegal.

3. São os Sionistas os nossos piores inimigos ou pensa que são apenas uns entre muitos?

Actualmente são os governos das Nações Brancas que nos traem. Os líderes das nossas Nações optaram pelo capitalismo financeiro e pela economia multinacional, em vez de se preocuparem com a Raça, porque na verdade é a economia que está a conduzir a nossa Raça para a destruição. Se isto for resolvido, os judeus são um piquenique de fim-de-semana.

4. Pode explicar a razão porque faz a distinção entre Brancos Arianos e Brancos?

Para ser sincero empreguei essa expressão para espicaçar os meus inimigos. É como espetar uma agulha nos olhos deles. O termo Branco é provavelmente melhor para evitar discussões constantes com Indianos, Persas, etc. Eu uso o termo Ariano na sua verdadeira acepção: os Nobres, ou seja, todos os brancos que combatem pela sua Raça. De acordo com esta definição, não considero os outros Brancos como Arianos. Eles são simplesmente cidadãos. Aliás, odeio designar a maioria dos Brancos como brancos, porque são inimigos da sua Raça. Merecem a Morte porque abandonaram a sua raça.

5. O subtítulo do jornal da WAR diz "O jornal mais racista do mundo". Não poderá isso afastar as pessoas da nossa Causa?

Neste momento não estou interessado nas massas tal como as organizações de extrema-direita. Eu ajudo a construir a força revolucionária, não a aceitação das massas. É necessário menos de 1% da população para tomar o Poder. Perder tempo e dinheiro tem sido o hábito da extrema-direita durante anos. Eu não apoio organizações piramidais porque ou são reaccionárias ou são um poço de lamentações. Eu apoio os Lobos Solitários, células e o trabalho em rede como os substitutos certos para a maior parte das inúteis organizações públicas. Mesmo nessas organizações, é menos de 1% dos activistas que fazem o trabalho e financiam o mesmo. Quem precisa do resto? Eles ouvem demais e no fim acabam por testemunhar contra ti.

6. Nos seus textos e discursos encontramos inúmeras vezes a palavra Revolução. Porém, como pensa que uma Revolução é possível? É o modelo empregue pela Order o caminho a seguir ou pensa noutra via?

A Order foi um marco em direcção a métodos mais efectivos. A Order foi a verdadeira “marca de água”, contudo devemos evoluir para programas estratégicos muito mais sofisticados. Os novos revolucionários têm de ser uma combinação entre guerreiros e cientistas, porque os dias das marchas e dos uniformes são algo do passado. Podemos marchar depois de vencermos. Os Revolucionários Arianos actuais têm de ser como Mao disse: "ser como um peixe na água". O Revolucionário infiltra-se, esconde os seus verdadeiros sentimentos, até pode fazer-se passar por um anti-racista, ele junta-se à polícia e aos militares. O Revolucionário não se marca com tatuagens ou enverga uniformes, ele evita pessoas estúpidas, trabalha melhor sozinho do que junto de pessoas fracas. Muitos indivíduos fracos juntam-se a organizações pensando que se tornarão fortes, o que geralmente não acontece.

7. Você enfrentou inúmeros problemas com o sistema. Depois do julgamento de Portland decidiu transformar a WAR. De uma organização hierárquica passou a uma organização sem líder. Quais são as vantagens? É possível combater o sistema com Lobos Solitários, porém, pode-se destruí-lo dessa forma?

O mito foi que a WAR era uma organização com membros, o que nunca foi. A WAR sempre funcionou com uma associação de voluntários, tal como o tronco de uma árvore tem no seu interior os círculos a caminharem do centro para a extremidade. As pessoas são utilizadas conforme as suas capacidades. Eu tenho desde um círculo mais estreito de associados aos associados apenas em propaganda, que não são fanáticos, mas ajudam na luta.

8. No passado, estabeleceu boas relações com os Panteras Negras e com Louis Farrakan, contudo você é muito jocoso para com os Negros no jornal da WAR, não é uma contradição?

Não, não é a partir do momento em que nunca menti aos Negros. Eu quero a separação geográfica com as outras raças e é possível negociar, forçá-los ou ridicularizá-los para atingir estes objectivos. O ódio é uma importante arma desde que usado correctamente. O que eu ofereço aos Negros é a separação territorial e controlo dos seus destinos. Eu não quero oprimi-los ou agredi-los a não ser que eles falhem na cooperação. Os separatistas negros compreenderam isso e não têm nada a obstar. Ambos concordamos com a separação e que o governo americano é o nosso inimigo.

9. Muitos Nacionalistas olham para o Islão como um aliado contra o Sionismo. Na Europa, o Islão é um verdadeiro problema (demográfico, cultural e económico). No seio dos nacionalistas discute-se a questão se o Islão é inimigo ou aliado. O que pensa você disto?

Embora pareça, pelo menos num curto espaço de tempo, que pode ser uma vantagem trabalhar com os islâmicos, a longo termo é um suicídio. É como ser atacado por um cão enraivecido e chamar um leão para matar o cão. Depois do cão morrer, o que vai o leão comer? Eu não tenho problemas nenhuns com o Islão desde que se limitem aos tradicionais países islâmicos fora da Europa. Oponho-me ao imperialismo americano porque é contra-revolucionário e um feroz inimigo da Raça Branca. A Europa foi invadida pelo menos duas vezes pelo Islão e expulsaram-nos com longas e sangrentas batalhas.

Eu entendo o 9/11 como uma simbólica vingança por parte dos islâmicos, uma vez que atacaram o World Trade Centre, centro financeiro do capitalismo, assim como o Pentágono representa o capitalismo predador da manipulação judaica. Tacticamente foi brilhante. Contudo, apoio a expulsão de todos os islâmicos das terras Arianas. Assim, os islâmicos Brancos têm de fazer uma escolha, a religião ou a raça? É impossível conciliar as duas. Apoio o cessar imediato da intervenção do monopólio capitalista nas terras islâmicas, assim como a retirada das tropas americanas. Acredito em negociações comerciais justas. Não vamos cair em erros, os Islâmicos actualmente querem subjugar o mundo inteiro porque nos consideram infiéis. Não caíam na ratoeira da religião. Uma vez no teu território eles são piores que os judeus. Com os judeus temos de lidar tal como era explicado nos textos doutrinários das SS.

10. Nos Estados Unidos existem muitas organizações racialistas, desde nacional-socialistas ao Movimento da criatividade, desde odinistas à Igreja da identidade cristã. É possível imaginar uma sinergia de esforços entre estes grupos já que todos lutam resolutamente pela sobrevivência da Raça Branca?

Entre os membros destes grupos existe muita camaradagem. O problema que se nos depara é a direita conservadora e racista que se aproxima dos nacionalistas e revolucionários. A separação aconteceu no tempo da Order. Robert Mathews deixou de respeitar a direita reaccionária contudo ainda financiou algumas organizações na esperança que eles mudassem, o que na maior parte não aconteceu. Aliás, a extrema-direita ignorou e atacou o sacrifício da Order. Nessa altura abandonei a extrema-direita e abracei a luta mundial Pan-Arianista, oposta ao nacionalismo passadista e à exploração capitalista. A nossa força e influência está a crescer gradualmente e as organizações de extrema-direita estão a desaparecer. Assim que nos livrarmos da velha direita conservadora teremos o caminho aberto para iniciarmos um caminho verdadeiramente revolucionário. Neste momento os vestígios de direita, que inclui ideologias ultrapassadas, uniformes, marchas, cultos religiosos e nacionalismo vetusto, ainda têm um poder financeiro superior ao nosso. Mas a luta revolucionária atrai os jovens e os fanáticos. Eu sou constantemente denegrido pelos direitistas, eles esforçam-se por marginalizar os meus feitos, tal como fazem os judeus e os anti-racistas. Sou odiado pela direita e pela esquerda. Com a opressão do governo a aumentar, as nossas fileiras crescem uma vez que os conservadores encolhem-se só de pensar no sangue ou na prisão. Eles dependem da polícia para os salvar. Eles fogem de uma possível batalha racial. Basta lembrar como as milícias de direita se desmantelaram após o irmão McVeigh prestar a sua declaração em Oklahoma.

11. Quais são os objectivos imediatos da WAR?

Agitação, Agitação, Agitação. Promover o enfraquecimento de Washington e dos seus líderes. Apoiar os actos Revolucionários, enquanto que a extrema-direita os condena. Apoiar o alastrar do pensamento revolucionário nas prisões tal como é veiculado pelos prisioneiros de guerra da ORDER. Recrutar pessoas da esquerda e da direita.

12. Obrigado pela entrevista, apreciamos muito a sua colaboração. As palavras finais são suas.

Todos os Brancos de todo o mundo devem unir-se em torno da RAÇA, o resto é uma perda de tempo. Eu é que vos agradeço. Tom Metzger

Comentários

Sem comentários

Adicionar Comentários

Este post não permite comentários