Mais ouro português

Por MJ, publicado no extinto blogue Alternativa Identitária

"A minha Pátria é onde estão sepultados os meus longínquos antepassados." - Maurice Barres

Da medalha de ouro obtida pelo atleta "português" (?) ressaltam duas observações fundamentais que aqui sucintamente afloramos:

1. A Identidade de um povo constrói-se na milenar conjugação de factores como são a herança étnica, a sedimentação de uma cultura comum, a língua e o desejo partilhado de um construir um futuro comunitário, fundado no reconhecimento recíproco das partes integrantes da nação (etnos).

Assim sendo, o sr. Francis Obikwelu não passa de um mercenário contratado por razões pecuniárias e do seu próprio bem estar económico e social. A sua "pátria" é a que lhe rende mais. Nada mais do que isso. O mercenarismo mercantil não pode, nem deve ser a regra do jogo, sob pena de subverter a própria natureza contraditória e competitiva das provas desportivas.

Um dia destes deparamos com cinco nigerianos a concorrer por cinco diferentes estados Europeus!

O cúmulo deste absurdo multiculturalismo, etnocída dos povos Europeus.

2.Da reflexão discursiva sobre a Identidade releva a simples questão de se saber quem somos e de quem são os outros. Desta fulcral interrogação decorre a essência do problema: o sr. Francis Obikwelu poderá, infelizmente, constituir-se do ponto de vista jurídico como cidadão "português", mas jamais será um Europeu (branco), por muito que bradem os multiculturalistas de todas as cores e feitios.

O transplante integral da epiderme ainda faz parte da ficção cientifica...

É esta a Identidade que defendemos e pela qual sempre bater-nos-emos: a da nossa imutável, remota e mais profunda étno-génese. Mal grado graves erros estratégicos e metodológicos, a resistência Identitária Basca, Bretã, Alsaciana, Galesa, Padana e Flamenga aponta-nos caminhos de como será o futuro combate Identitário Europeu.

A nacionalidade não se adquire, herda-se!

Comentários

Sem comentários

Adicionar Comentários

Este post não permite comentários