Recrutamento de novos membros

Por David M. Pringle

Penso que o verdadeiro truque está em ensinar as pessoas a recrutar. Como falar com alguém potencialmente interessado sem usar determinadas palavras e chavões que apenas nós, que nos “auto-doutrinamos”, percebemos.

De momento estou a trabalhar com três pessoas: uma que conheci enquanto estava no Exército, as outras conheci-as em Anchorage, Alaska onde resido. Tenho feito progressos diários; é como derrubar uma parede. Empurro um tijolo de cada vez, cada tijolo em falta não só enfraquece a parede mas deixa também entrar um pouco mais de luz. As paredes estão a cair! Eles estão a acordar.

Quando uma igreja como os Mormons decide enviar um dos seus engravatados rapazes de 19 anos "converter" novos membros, submete-os primeiro a semanas de treino no Centro de Treino de Missões (CTM).

O CTM fica na “fortaleza” dos Mormon em Provo, Utah. Eles comem e dormem com indivíduos que pensam da mesma forma, e recolhem forças uns dos outros. São ensinados a comercializar a sua religião e a como responder a ataques contra ela.

Se alguém cita uma escritura Bíblica que diz isto, eles sabem citar uma que diz aquilo. Eles são condicionados desde pequenos para cumprir uma missão. Eles têm até músicas para as crianças cantarem, tais como "Espero que eles me enviem numa missão, quando crescer mais um pouco." De momento eles têm 47,900 jovens homens e mulheres espalhando a sua mensagem por todo o mundo.

O propósito do meu exemplo não é encorajar a mesma forma de agir dos Mormon, mas alguns dos seus elementos são essenciais. Estar rodeado de indivíduos que pensam da mesma forma é um factor importante! Se não conheces ninguém que pensa da mesma forma, então resolve esse problema! Não te sei dizer como, mas fá-lo.

Consegues debater? Conheces o material suficientemente bem para debater com alguém que acredita no exacto oposto daquilo em que tu acreditas? Se observares um esquerdista em acção, confronta-o; não tenhas medo. Se eles te fizerem parecer um idiota, então vence-os da próxima vez.

Ouve estações de rádio esquerdista, como a National Public Radio por exemplo. Conhece melhor o inimigo do que te conheces a ti próprio. Porquê, perguntas? Porque se conheceres os seus pontos de vista serás capaz de usar as fraquezas dos seus argumentos contra eles. Pede-lhes para dizer o nome do gás utilizado nos Judeus — eles não sabem. Pede-lhes para citar as estatísticas criminais — eles não conseguem.

Quando o Dr. Pierce ou o P.M. Matt Hale falar acerca de um Branco assassinado por um negro, decora o nome. Não o leias e esqueças logo a seguir.

Há pouco tempo telefonei para o programa Native America Calling da NPR. Perguntei ao anfitrião Harlan McKasitoe porque é que ele não tinha falado acerca do assassínio de um branco por três Índios no Dakota do Sul no ano passado. Apanhei-o sem defesa e ele gaguejou. Perguntei se ele achava que a lei contra o ódio se aplicava apenas aos Brancos. Não sabia, respondeu ele. Depois disse que era altura para outra chamada.

O importante é que, cinco dos meus amigos me telefonaram no espaço de 30 minutos para me dizer que também tinham ouvido. A esposa do meu médico perguntou-me se era eu na rádio naquele dia. Todos eles quiseram saber mais sobre o assunto e a razão porque eu sabia. As sementes foram plantadas.

Lês os livros recomendados pelos teus líderes? Leste o Nature's Eternal Religion ou o The White Man's Bible, leste o Mein Kampf, The Turner Diaries, Hunter, 1984, White Power? A Internet é uma fantástica fonte de informação mas os livros têm que ser lidos. Dá uma vista de olhos no catálogo da National Vanguard Books. Têm mais de 600 títulos por onde podes escolher. Os portes estão incluídos!

Tens que ler. Tens que saber porque acreditas no que acreditas. Ser contra os negros e os judeus não é o suficiente; sabe porque te opões a eles.

À medida que o nosso movimento sai do armário e se afasta dos Fuhrers por correio, da Resistência sem Liderança e dos Partidos-de-um-só-homem teremos os nossos próprios Centros de Treino, e teremos os nossos melhores e mais inteligentes a ensinar e a guiar. Enviaremos os nossos representantes para todo o mundo prontos para recrutar, prontos para brilhar. Até lá temos que nos treinar a nós próprios. Eu chamo-lhe "Auto-Doutrinamento."

Não estou a sugerir que nos tornemos todos estudantes; o Senhor sabe que eu sou tudo menos isso. Se me perguntares porque acredito naquilo em que acredito posso-te dar respostas simples: James, Micaela e Rachel, os meus filhos.

Comentários

Sem comentários

Adicionar Comentários

Este post não permite comentários