O ruidoso silêncio de outros mortos

Por Fernando Alba

Eu, que nunca alinhei pelas posições negadoras dos trágicos acontecimentos da II Guerra Mundial, antes partilhando as teses de Noah Chomsky, Israael Shak, todos judeus, mas defensores da total liberdade de expressão, fico deveras incomodado com a autêntica agressão informativa de que temos sido objecto nestes últimos anos.

Retém-se a injusta e falsa impressão de que o sofrimento e a dor são inerentes e monopólio de um só povo. A sua pretensa "eleição" passa pela chantagem emocional e política, terminando por culpabilizar os demais povos, muito em particular os Europeus.

O cortejo de repetidas lamúrias, reforçadas por uma persistente auto-comiseração, busca, simplesmente o domínio e o império de uma "Nova Ordem", onde a liberdade de expressão e as liberdades individuais são meras fantasias políticas…

E para que se desmonte esta injustiça, decidi-me a enumerar alguns massacres e genocídios cometidos no decurso da história mais recente. Porém, fica a certeza de que a lista não é, nem exaustiva, nem completa. Esta recorda-nos outros mortos, outros anónimos sofrimentos.

O seu silêncio releva, bem alto, a indignação de todos aqueles que não desfrutam do mesmo poder de influência dos presumíveis "eleitos".

Eis a Lista:

- Genocídio da população branca no Haiti cometido após uma revolta de escravos (séc. XIX)

- Genocídio dos Cristãos Assírios cometido pelos Árabes invasores, na região onde hoje se situa o Iraque e a Síria

- Genocídio dos Aminios Cristãos, nos finais do séc. XIX e princípios do séc. XX, cometido pelos Turcos do Império Otomano

- Milhões de Europeus de todas as nacionalidades, mortos durante as Guerras Civis Europeias de 1914-1918 e 1940-1945

- A morte de milhares de civis japoneses pela explosão das bombas atómicas em Hiroshima e Nagasaki

- Milhares de Civis Assassinados em Dresden pelos bombardeamentos da aviação Britânica

- Ocupação, seguida de assassinato e deportação de milhares de civis dos países Bálticos. Crime cometido pela União Soviética no pós-guerra

- Centenas de milhar de tibetanos executados e deportados pela ocupação chinesa em 1949. Actualmente processa-se uma autêntica limpeza étnica e cultural do povo tibetano e da sua identidade

- Genocídio de metade da população Cambojana pelos Khmers vermelhos

- Genocídio da população Tutsi no Ruanda e no Burundi, cometido pelos Hutus

- Milhões de chineses assassinados e perseguidos durante a denominada "Revolução Cultural" (anos 60) promovida por Mao Tse-Tung

Considerar alguns mortos como "eleitos" significa enveredar pela imoralidade e pela injustiça.

Comentários

Sem comentários

Adicionar Comentários

Este post não permite comentários